Warung apresenta duas festas em abril

O Warung Beach Club recebe nessa sexta-feira (3) os DJs D-Nox, Nastia, Henry Saiz, o residente Boghosian, The Drone Lovers, Funky Fat, Gabe e Du Serena. O club promete dar continuidade ao alto nível de qualidade dos line-ups que apresentou em suas festas do verão. No dia 18 quem garante a trilha sonora da noite são os DJs Dixon, The Magician, o residente Davis, a dupla Conti&Mandi, Gromma e Fran Bortolossi.

Com duas festas incríveis, o Templo garante muita animação no mês de abril, com o melhor da dance music mundial. Ingressos à venda no site do club.

Green Valley é eleito o melhor club do mundo pela segunda vez  

Há 11 anos a revista britânica DJ MAG escolhe através do voto do público e de avaliações de especialistas os 100 melhores clubs do mundo. Na manhã da última quinta-feira (26) foi divulgada a lista de 2015, e pela segunda vez o Green Valley, club de Camboriú, Santa Catarina, foi eleito o melhor club do mundo.

Capturar

Em 2013 o Green Valley já havia chegado ao topo, porém, no ano de 2014 ficou em 2º lugar. O primeiro ano em que o Green Valley apareceu na lista foi em 2010, e estava na 27ª posição; em 2011 subiu 24 posições e já estava entre os três primeiros colocados; em 2012, foi o segundo colocado.

O club investiu na campanha rumo ao topo com o slogan “O Meu Melhor Club do Mundo”. Durante a campanha muitos famosos mostraram que o Green Valley é realmente o queridíssimo do mundo, entre eles Neymar e Susana Vieira:

Neymar

Susana Vieira

Outros clubs brasileiros também apareceram no ranking:

10º – Sirena – Maresias (SP)
26º – Warung – Itajaí (SC)
41º – Matahari – Indaial (SC)
47º– El Fortin – Porto Belo (SC)
57º – D. Edge – São Paulo (SP)
76º – Danghai – Curitiba (PR)

Abril está recheado de shows em Santa Catarina, incluindo o rock internacional da banda Kiss

No dia 20 de Abril, o palco do Devassa on Stage, em Florianópolis recebe a banda de rock Kiss. A turnê de 40 anos do grupo: Anniversary Monster, traz um repertório que promete muitos solos de guitarra e surpresas.

A banda americana composta por Paul Stanley, Gene Simmons, Eric Singer e Tommy Thayer iniciou em 1973 e é conhecida mundialmente por suas maquiagens, e por seus concertos que incluem guitarras esfumaçantes, cuspir fogo e sangue, pirotecnias entre outros diferenciais. Além disso, constitui um dos maiores impactos culturais da década de 1970, através do uso das roupas e maquiagens nunca antes vistas, e que marcaram a história da música.

A classificação do show é de 16 anos e a abertura dos portões está marcada para as 21h. Para mais informações clique aqui!
Compre aqui seu ingresso!

Jorge e Mateus

No dia 3 de Abril é a vez de Jorge & Mateus subirem ao palco do Devassa on Stage. A dupla responsável por algumas das músicas mais conhecidas do sertanejo universitário, como “Pode Chorar”, “De Tanto Te Querer”, “Duas Metades”, entre outras, os goianos Jorge & Mateus, da cidade de Itumbiara, interior de Goiás, ganharam projeção nacional e, hoje, são considerados uma das principais duplas sertanejas do Brasil.

Classificação 16 anos. Garanta seu ingresso!

SambôTambém no dia 3, Balneário Camboriú recebe o grupo Sambô, no The Room – Music Park BC. O Sambô traz um grande diferencial, o samba ganhou novos instrumentos, porém, a espontaneidade e naturalidade do repertório não deixa ninguém parado. Pediu pra sambar, Sambô!

Classificação 16 anos. Garanta seu ingresso!

malta

Já no dia 10, a Banda Malta, que saiu como a grande campeã do SuperStar, estará em São Miguel do Oeste na Danceteria Farol.  Apesar de muitos piercings, tatuagem, roupas pretas e guitarra, a banda prega “o amor” em todas as canções, e traz em seu repertório a música “Diz Pra Mim”.

Classificação 16 anos. Garanta seu ingresso!

Thiago Brava

Joinville recebe dia 11, na Idem Gold, o sertanejo Tiago Brava, compositor do hit “As Mina Pira (amigo do Neymar)”. Seu repertório traz músicas como: “360 O Arrocha do Poder”, “Lei do Desapego” e “Arrocha da Paixão”, músicas de trabalho de seu primeiro CD Solo “O Arrocha Do Poder” que virou febre na internet.

Classificação 18 anos. Garanta seu ingresso!

Ludmilla

Dia 17 de abril é a vez do funk. Ludmilla estará no palco do Empório Original em São José. Primeiramente conhecida como MC Beyoncé, Ludmilla lançou a música “Fala Mal de Mim Ludmila”. Nessa nova fase, traz em seu repertório as músicas “Hoje” e “Te Ensinei Certin”.

Classificação 18 anos. Garanta seu ingresso!

Também no dia 17, se apresenta em Chapecó, no 14 Bis, o cantor Gabriel Valim conhecido pelo hit “Piradinha”.

Classificação 18 anos. Garanta seu ingresso!

Armandinho

No dia 20 é a vez de Armandinho subir ao palco do 14 Bis, com o repertório do disco “Sol Loiro”, além de suas músicas mais conhecidas como “Folha de Bananeira”, “Ursinho de Dormir” e  “Balanço da Rede”.

Classificação 18 anos. Garanta seu ingresso!

Fernando e Sorocaba

Dia 24, se apresenta em Biguaçu, no Centro de Eventos do Petry, a dupla Fernando e Sorocaba. Referência para as novas gerações, a dupla investe no shows, que atualmente é considerado como um dos melhores da categoria. O repertório conta com canções românticas como “Gaveta”, “Madri”, “Teus Segredos” e as baladíssimas “Deixa Falar”, “Veneno”, “Da Cor do Pecado”,e muito mais.

Classificação 16 anos. Garanta seu ingresso!

Zélia DuncanPara fechar o mês de Abril, apresenta-se no Laguna Tourist Hotel, a cantora Zélia Duncan, a qual fará a abertura do evento Laguna In Concert que traz para o Sul Catarinense grandes nomes da Música Popular Brasileira. Ela aprensetará o show solo “O Lado Bom da Solidão”, em que reúne alguns de seus principais hits e canções de seu repertório afetivo, como:  “Catedral”, “Alma” e “Tudo sobre você”.

Classificação 18 anos. Garanta seu ingresso!

Morre aos 89 anos o ator e humorista Jorge Loredo, intérprete de “Zé Bonitinho”  

Jorge Loredo, ator e humorista brasileiro, conhecido por interpretar “Zé Bonitinho” morreu na manhã desta quinta-feira (26), aos 89 anos. Ele lutava há anos contra uma Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e estava internado desde o dia 3 de fevereiro na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital São Lucas em Copacabana, Zona Sul do Rio. No dia 13 de fevereiro foi transferido para a Unidade Cardio Intensiva.

Nascido em 7 de maio de 1925, em 2015 Loredo completaria 90 anos. Ele foi criado em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Jorge Loredo

Inspirado por um amigo que se achava um grande galã, Jorge Loredo criou o personagem “Zé Bonitinho”. Ele costumava imitá-lo em festas arrancando gargalhadas. Em 1960, “Zé Bonitinho” estreou na televisão, no programa “Noites Cariocas”, exibido pela extinta TV Rio. Os primeiros textos foram roteirizados por Chico Anysio.

O personagem galã além de possuir vários acessórios chamativos (pentes, gravatas e óculos grandes) tinha bordões que eram interpretados com a voz de um conquistador: “Câmera, close; microfone, please”, “Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz!”.

Além de “Zé Bonitinho” Loredo interpretou diversos personagens e também participou de mais de dez filmes, entre eles: O Palhaço.

Duca Leindecker em Jaraguá do Sul

No dia 11 de abril, Jaraguá do Sul receberá Duca Leindecker no palco do Centro Cultural da SCAR, com o inédito disco solo “Voz, Violão e Batucada”. Conhecido por participar das bandas Cidadão Quem e Pouca Vogal, Duca Leindecker traz um show com formato único, em que mostra sua vertente multi-instrumentista tocando guitarra, baixo, piano e apresentando a técnica percussiva presente em “Voz, Violão e Batucada”. Para este projeto, Leindecker chamou os músicos Claudio Mattos (bateria) e Maurício Chaise (baixo). O repertório é composto pelas canções de seu último disco e por um passeio de seus maiores sucessos com a Cidadão Quem e Pouca Vogal. O show terá set elétrico e acústico e arranjos que privilegiam a qualidade instrumental da carreira sempre desafiadora de Duca Leindecker.

Ingressos já disponíveis e à venda na bilheteria do teatro ou pelo blueticket.

Há nove meses longe de casa, catarinense conta como é ser um intercambista na Inglaterra  

Aos 21 anos, Aron Postiglione, acadêmico de engenharia eletrônica na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), já tem uma bagagem enorme de experiências que está vivenciando na Europa.Ele conta que desde o início da faculdade tinha intenção de fazer intercâmbio, mas preferiu esperar alguns semestres com o intuito de avançar os módulos mais técnicos da graduação.

Aron se inscreveu então para o Ciência Sem Fronteiras no início de 2014. Seis meses depois soube que tinha sido aprovado e que em menos de dois meses iria se despedir do Brasil.

De toda a Europa, Postiglione conta por que escolheu a Inglaterra, “A escolha foi feita quase no chute. Eu não queria ir para os Estados Unidos, e dos países europeus, o único que tinha o inglês como língua oficial era o Reino Unido”. Ele ainda comenta que os critérios para escolher a University of Portsmouth foram: melhor nota da universidade no curso de engenharia eletrônica e o lugar menos frio possível.

Estar longe da família é a principal dificuldade

Ao falar sobre as dificuldades de se adaptar a outra cultura, Postiglione afirma que chegar num país desconhecido, onde as pessoas falam outra língua é complicado, porém, dificulta mais ainda quando se está longe da família e dos amigos. “As coisas começaram a ficar menos difíceis quando fiz amizades”.

Ele também conta que nos primeiros três meses os brasileiros ficaram reunidos no mesmo Hall (moradia da universidade), “Era como se eu não tivesse realmente saído do Brasil, já que nesse tempo eu continuava falando muito mais português do que inglês”. Porém, ele afirma que geralmente não é isso que acontece no Ciência Sem Fronteiras, na maioria das vezes os brasileiros moram com ingleses já no primeiro mês.

Após o terceiro mês, eles foram recolocados e então foram morar com pessoas de diversas nacionalidades. “Quando fui recolocado o susto da chegada já tinha passado, então foi tranquilo para me enturmar e acostumar a viver com pessoas de diversos países” comenta Postiglione. São cerca de 400 universitários que moram no Hall, entre eles brasileiros, noruegueses, chineses, ingleses, romenos, africanos do sul, etc.

A rotina nem sempre é rotina

Para Aron o dia de um universitário inglês já é um pouco melhor que a do brasileiro, começando pelo horário que iniciam as aulas… Nove horas da manhã. “As aulas geralmente são curtas e de no máximo duas horas pra cada matéria por semana”. Após as aulas geralmente os colegas do hall se reúnem em uma cozinha (comunitária) para conversar e se divertir.

Nesses nove meses, não só de aulas viveu o brasileiro, ele também fez várias viagens em que conheceu algumas cidades europeias. Na Espanha conheceu Palma de Mallorca e Barcelona; na França, Riviera Francesa e Paris; na Alemanha, Berlin e Munique; na Holanda, Amsterdam; na Bélgica, Bruxellas, na República Tcheca, Praga; na Áustria, Viena e no Reino Unido, Londres. “O lugar que eu mais gostei Munique, quando fomos para a Oktoberfest. Alugamos dois motorhomes e dirigimos de Londres até Munique durante 26 horas. Foram quatro dias em Munique e essa foi a melhor viagem da minha vida”. Durante a Páscoa a universidade faz uma pausa, que chamam de Easter Break, neste período ele viajará para a Itália, Espanha e Portugal. Porém, ainda pretende viajar para Malta, Grécia e Croácia nas férias de verão.

“Não há experiência mais proveitosa do que um intercâmbio” ressalta Aron Postiglione

Há alguns meses de voltar para o Brasil, Postiglione afirma que é fantástico conhecer pessoas de diversas nacionalidades e viver imerso em outras culturas. Para ele a experiência é valiosa em diversos âmbitos. Questionado sobre o que lhe faz querer voltar para o Brasil ele afirma, “Alem da minha família e amigos, o que mais me faz querer voltar ao Brasil é o calor humano do povo brasileiro, a facilidade de fazer festa e ser feliz em qualquer situação, algo que aqui na Inglaterra não existe”. Já a atual conjuntura política/social/religiosa do país, a crise política, a alta do dólar, a queda dos empregos e a hipocrisia dos valores morais em varias áreas sociais são alguns motivos que não o fariam voltar para o Brasil.

Confira algumas fotos desses nove meses de intercâmbio:

Pra ver mais fotos do Aron siga ele no instagram – @aronpostiglione

Sobre as histórias das viagens que Aron Postiglione fez e ainda fará, você pode conferir toda sexta-feira algumas crônicas que serão postadas aqui no site.

Acontece até 5 de abril em Pomerode a 7ª Osterfest

Desde 2008, a Osterfest – Festa de Páscoa Alemã, garante que as que as tradições germânicas sejam conservadas e difundidas no Brasil. Neste ano, a festa iniciou no dia 5 de março e se estende até o dia 5 de abril. Uma das principais atrações do evento é a Osterbaum, uma árvore de 15 metros de altura enfeitada com mais de 80 mil ovos de plástico (em 2014 o número foi quatro vezes menor). Cerca de 60 voluntários foram responsáveis pela decoração. Além de apreciar toda a decoração na festa, e a deliciosa gastronomia, os visitantes podem também levar para casa um pouco dessa tradição. Com cerca de 20 expositores de artesãos locais, opções de artesanato pascal não faltam. A Osterfest ocorre no Centro Cultural de Pomerode, na Rua Hermann Weege, de quinta a domingo, das 10h às 18h, até 5 de abril.

Mais informações em: www.vemprapomerode.com.br